Mayara Bortolotto

A peregrina

(Ela vive em todos nós)

Ela anda pelo mundo

Lenta e serenamente

Iluminando o caminho com sua luz

Oferece pouso para quem precisa

E acolhe todos, sem distinção, pelo tempo necessário

Sabe que é passagem e não morada

Os ninhos são perenes

Os ocupantes transitórios

O voo é certo, é só questão de tempo

Ela respeita seu próprio ritmo 

Não é invencível, não é fortaleza, não é melhor nem pior

Apenas segue caminhando, um passo depois do outro

É o movimento que a mantém viva

Seu caminhar não tem destino certo

E ela não pretende criar raízes em lugar algum

Ela é seu próprio lar

Aprendeu a manter seu fogo interno aceso

E por isso sua luz nunca se apaga


Ilustração: Anastasia Suvorova

Minha versão: a peregrina