Mayara Bortolotto

Coleção Jardim: Diário de Sonhos

Escrever o que sonhei faz parte do meu ritual matinal há mais de dois anos. O mundo onírico (da natureza de sonhos) sempre me causou fascínio. Escuto pessoas contando e interpretando seus sonhos desde pequena e aprendi cedo que eles são mais do que um conjunto aleatório de eventos. Acho bonito enxergar o sonho como uma expressão do nosso mundo interno e isso tem feito cada vez mais sentido para mim. No ano passado, fiz cursos para entender melhor a simbologia dos sonhos e pesquisas me trouxeram novas perspectivas sobre o assunto.

Sonhar é um ato de resistência. 

Já parou para pensar que tudo o que foi criado pela humanidade um dia foi sonho de alguém? Não podemos criar o que não podemos imaginar. Sonhar é o primeiro passo da criação, é o lugar onde ousamos ser grandes, brilhantes, felizes, amados, autênticos. Ao sonhar nos permitimos ser tudo o que quisermos, essa habilidade é valiosa e penso que deve ser cultivada todas as noites, mas não somente. Sonhar acordado também é importante: algo que gostaríamos de conquistar, lugares para visitar, posições a ocupar, conhecimento a adquirir, objetos que desejamos possuir, pessoas de quem queremos nos aproximar. Esses sonhos são combustível para viver. Ter um sonho, um lugar para olhar nos motiva a dedicar nossa energia para aquela direção e onde colocamos nossa energia há crescimento. Isso não quer dizer que tudo sairá como planejamos, mas certamente o que precisamos para florescer nos encontrará pelo caminho.

As ilustrações foram inspiradas no meu processo de florescimento pessoal e profissional, como nos produtos Protea, mas de um jeito diferente. Os muitos projetos que venho desenvolvendo nos últimos anos, me trouxeram crescimento e alegria, mas fragmentam minha dedicação em pequenos pedaços. Isso me deixou exausta e fez repensar: como trabalhar sustentavelmente? O momento presente, em consonância com a palavra do ano, é entender o que é essencial para mim. Me vejo escolhendo para onde olhar e direcionar minha energia e tem sido desafiador deixar ir projetos, hábitos, objetos e pessoas que gosto, mas que não são essenciais nesse momento. Ter clareza sobre o que não pode faltar na minha vida me ajuda a sonhar com mais leveza.

Em mais uma noite insone, desenhei novas flores. Dessa vez não foi de uma vez, mas um processo de dias onde fui incluindo elementos diferentes em vários momentos durante o mês. Já não era uma imagem de paisagem, mas várias flores e folhas soltas, como os meus projetos. Quando fui digitalizar, coloquei todas em composição com as que já tinha do lançamento Protea e vi que, tomando certa distância, partes soltas formavam um todo harmonioso. É onde estou em minha vida agora, me distanciando das partes para ver o todo. Fizemos uma versão com escala maior para a capa e usamos a primeira versão para revestir a parte interna da caderneta.

Para os cadernos costurados, eu fiz um novo desenho a pedido da Mylena, não tinha me atentado para o tamanho do desafio quando ela mostrou a imagem, mas logo que sentei para começar a ilustração me dei conta da complexidade que tinha ali. Ainda bem que me dispus a fazer, não só consegui como percebi que sou capaz de fazer mais. A divisão de tarefas é parecida com a que fizemos nos produtos anteriores: eu desenho, digitalizo, faço a composição e faço uma sugestão de cores e texturas (dessa vez foi com base em uma conversa prévia sobre o tema). A My ajusta os tons, os pesos, faz os testes de impressão e lapida os mínimos detalhes para que fique o melhor possível. É ela quem faz a mágica final. Elásticos, fitas, lombadas e textos foram definidos em conjunto.

As cores escolhidas para esse lançamento são fruto do momento atual. Para mim o roxo é transformação e intuição e o laranja é vitalidade, gestação e essência. Havia o desejo de que as cores conversassem com as que escolhemos nos produtos Protea, então eu e a My decidimos que o elástico e o fundo da caderneta permaneceriam iguais ao anterior. No caso dos caderninhos costurados, as cores são uma ponte entre Protea e o próximo lançamento, passando pela paleta que elegemos para o sonhário. Escrevi o texto para a parte interna do diário de sonhos e a Mylena diagramou para que ficasse perfeito. Trocamos figurinhas no processo, porque eu não estava sentindo que o texto estava fluido e a My trouxe sugestões essenciais para ele.

Desejo que esse sonhário te aproxime das mensagens que estão querendo chegar até você. Essa caderneta está pronta para receber sonhos do mundo onírico e dos momentos de vigília, bem como os pedidos da sua criança artista e da sua alma. Aqui tudo é possível, basta se permitir sonhar.

Bons sonhos!

Diário de Sonhos Jardim

  • Caderneta Diário de sonhos
  • Capa rígida com acabamento laminado fosco
  • Lombada flexível
  • Guarda em papel decorado 180g/m² 
  • Fita e elástico laranja
  • Opção papel offset 120g/m² com 144 páginas
  • Opção papel pólen 80g/m² com 168 páginas

Conjunto Caderninhos Jardim

  • 3 cadernos brochura com as seguintes especificações
  • Capas: Papel 230g com laminação fosca
  • Miolo offset 75g/m²  ou pólen 80g/m²
  • 64 páginas
  • aproximadamente 20 x 14cm

Cartões Jardim

  • O Kit contém 3 cartões lindos e inspiradores
  • Papel 230g/m² com acabamento brilhante
  • Tamanho aproximado 10 x 14 cm
  • Artes autorais Mayara Bortolotto + Mbô