Mayara Bortolotto

Equilíbrio

Ela dança sozinha na sala vazia de casa

Abre os braços e fecha os olhos

Gira lentamente com os pés descalços

Se balançando para lá e para cá

Sem olhar, sabe que o corpo

Se projeta na parede branca

E acha bonito o dueto

Luz e sombra em movimento

No meio ao balanço

Se desequilibra e ri

Sente a vida pulsar mais forte

E volta diferente do que era antes

Quer ser leve como o vento

Brincar com sua natureza

E aproveitar a própria cadência

Para se equilibrar na impermanência


Foto: Priscilla Du Preez